Um braço partido não é o fim do mundo!

 

Quando a minha filha partiu o braço, deitámos as mãos à cabeça e pensámos logo: lá se vão as férias.

Praia e piscina, nem pensar. O gesso não pode apanhar água, como é óbvio. Se quiser, aconselhou a médica de ortopedia, pode envolver o braço em película aderente e se for à praia, ela sempre poderá molhar-se até à cintura e refrescar-se.

Fomos a uma loja de produtos ortopédicos e o empregado desencorajou-nos logo de procurar alguma outra solução. Não há oferta no mercado para este tipo de situações. Mostrou-nos uma manga, que deixava passar água e que mais parecia um preservativo gigante ( as palavras foram dele ), para nos convencer.

Fomos à praia uma manhã. A coitada ficou a ver a irmã e os outros meninos na água, com um ar infeliz. Isto indignou-me. Tinha de haver uma solução. Caramba, é só um braço partido, não é a primeira vez que isto acontece, pois não?

Lancei-me à procura na internet e fui pesquisar sites estrangeiros, alemães e ingleses, que são ambos povos bastante descomplicados. Não demorámos muito a perceber de que existem afinal produtos específicos para este tipo de situações e que para os estrangeiros, tal como eu calculava, ter um braço partido não é sinónimo de não ter férias e de não ir à água.

Liguei para Inglaterra, para uma empresa que vende este tipo de produtos ( bloccs ).  Não têm representante em Portugal. Que surpresa!

Se quiser, pode encomendar. Segue por avião, mas vai demorar e fica-lhe bastante caro.

Decidimos procurar alternativas. Telefonei para umas 20 farmácias no Algarve e mais umas tantas lojas de produtos ortopédicos. Encontrei 2 ( duas !! ) que tinham mangas supostamente impermeáveis para crianças. Fomos lá. Comprámos ambas e desenvolvemos uma técnica para envolver o braço engessado da nossa filha: película aderente, fita adesiva, uma manga, mais película aderente e fita, outra manga, mais película, mais fita. Não entra água. A miúda ficou tão feliz que mergulhou de cabeça para dentro da piscina. Ia-me dando uma coisa. Proibi-a de mergulhar, mas pode nadar debaixo de água, apanhar ondas na praia e faz tudo o que as outras crianças fazem. Já quase não se lembra de que tem o braço partido.

Alex

o resultado:

0