O maravilho mundo das mulheres

Hoje acordei feliz… mas quando estava a tomar banho fiquei angustiada. Mas porquê? Devo ter algo que me preocupa… Começo a recapitular todos os problemas da minha vida. Vasculho… não encontro. Vou-me vestir. Entro em modo operacional, para pôr esta família a tempo e horas na escola e no trabalho.

Ai, que miúdos difíceis, não se despacham, que molengas! A culpa é minha. Mimo-os tanto. Ai, não é nada minha culpa, mas do pai! Sim, sim, é do pai! Eu sou uma ótima mãe. Ai! Adoro-os, apetecia-me ficar com eles o dia todo! São tão fofos! O quê a ver televisão, e não estão vestidos?? São incríveis, que inferno!

Olho para o espelho, estou horrível… Será que tenho tempo para mudar de roupa? O cabelo então, nem se fala! Vou fazer um rabo-de-cavalo. Sempre disfarça. O resto fica como está… Vou pôr um pouco de base, e um batom. Sim, estou bem…

Estou com muito trabalho, como é que me vou organizar… nem consigo almoçar. Sou uma escrava! Afinal não é tanto assim… será que consigo marcar um almoço com a Alex? Estou a precisar de uma amiga. Estou outra vez angustiada. Mas porquê??? O que será?! Vou “escarafunchar” mais um pouco… nada. Vi a minha chefe a olhar para mim. Será que fiz alguma coisa? Não deve ser nada… Quero ser a melhor no meu trabalho. Ou então não. Quero ser mãe a tempo inteiro. Será que me sentia completa? Help!

Que almoço maravilhoso. A tarde já passava… apetece-me ir para casa ter com a minha família! Tão bom!

Chego a casa, não me apetece fazer nada… Vou mandar vir uma pizza… O meu marido começa a reclamar; a dizer que temos de ter uma alimentação mais saudável… Não tenho paciência e já me irrita. Se calhar vou-me divorciar… Que querido! Foi adormecer os miúdos. Tenho muita sorte em ter um marido assim!

E estamos sempre nisto… As hormonas divertem-se no nosso corpo, as nossas emoções são uma montanha russa. Num instante estamos tristes, noutro felizes, angustiadas, stressadas, caladas, histéricas e tudo isso em 24 horas! Não sei se gostaria que fosse de outra forma. Ou talvez sim.

Quem vive no convento é que sabe o que vai lá dentro“.

Sweet kisses

Maria

0