Mãe ansiosa ou mãe protetora?

Em miúda, era uma pessoa descontraída… depois fui mãe e tornei-me ansiosa. Mas não gosto dessa palavra. Prefiro “mãe protetora”.

Eu queria ser mais relaxada mas não consigo. Se calhar, é o meu instinto maternal/protetor, que me transforma nessa pessoa, mega preocupada com tudo.

Quando nasceu o mais velho, não resistia em lhe pôr o meu  dedo por debaixo das narinas para ver se ele estava a respirar. Uma vez o meu marido viu, e questionou-me sobre o que estava a fazer. Quando lhe disse, nem acreditou.

Em relação à roupa, gosto de os vestir como cebolinhas, roupinha em camadas, e ando sempre com casacos comigo, pois acho sempre que o tempo vai mudar.

Quando estou na praia estou sempre a verificar se têm o chapéu na cabeça. Também abuso nos protetores solares…

Nas festas de anos dos amigos da escola, quando os miúdos eram pequenos,  os pais dos aniversariantes diziam: “venham busca-los às cinco!“…mas a minha vontade era ficar, e muitas vezes ficava (uuuuuiii).

Fico impossível quando estão doentes, sempre a ver se têm febre, e a perguntar como se sentem.

Às vezes, quando uma amiga partilha que também é “protetora” como eu, há uma confirmação que não estou assim tão doida (ufa!).

Claro que à medida que os miúdos vão crescendo, dá-se a quebra da dita ansiedade. Quando veio o segundo filho, fiquei um pouco mais racional… Mas sempre em alerta e em modo de proteção.

Tenho alguma inveja do pai… para ele está sempre tudo bem:

–  Não quis almoçar? Não faz mal (eu acho logo que estão doentes).

– Está frio e foi sem casaco. Não há problema, ganha resistência! (pois claro).

– Não quer tomar banho, deixa lá…  (como se isso fosse acontecer).

Também se passa o mesmo convosco?

12814600_1528117817483413_4880746234207474865_n

Sweet kisses

Maria

1

1 comentário

  • Neusa
    2016-04-13 em 12:49

    Sim! Ando sempre com 2 casacos… um mais quente e um mais fresquinho… e protector solar! Sou uma seca!