Férias sem filhos

Descobri ontem, que uma amiga, nunca viaja sem os filhos. Aliás pouco viaja, pois os miúdos ainda são pequenos (têm menos de cinco anos), e como é preciso uma grande logística, resolveu adiar viajar, com ou sem eles, até as crianças serem mais velhas.

Eu adoro fazer férias com os meus filhos, mas de vez em quando sabe-me muito bem viajar com o meu marido.

Claro que nos dois primeiros dias, estou um pouco angustiada. Esmagada com sentimentos de culpa, sempre a pensar, no que é que os miúdos estão a fazer, e cheiinha de saudades.

No terceiro dia, já me sinto mais livre destes sentimentos, mais apaixonada pelo meu marido, e a redescobrir uma sensação de liberdade que já não sabia que existia. Nesse instante “entro” em modo de férias, a gozar cada momento, como se tivesse vinte anos e livre de preocupações ou interrupções (mãe estou cansada, quero colo, tenho fome, quero ir fazer xixi, … ).

São nessas férias, que volto a conhecer o meu marido. No dia-a-dia, só falamos sobre os nossos filhos, nos problemas e nas preocupações, e perdemo-nos um do outro. Finalmente sós. E agora? De repente um diz um disparate, o outro fica mais carinhoso, e voltamos atrás no tempo, como se fossemos novamente namorados. Falamos de tudo e de nada. Fogo, tinha mesmo saudades de nós.

A “culpa“ por termos deixado os miúdos nunca desaparece, e inconscientemente, vamos comprando presentes e presentes para os nossos filhos, em cada sítio que passamos.

Na véspera de voltamos para casa, é que o meu coração começa a estardalhar de saudades. Conto todos os segundos, até voltar a ver aquelas carinhas e de os poder abraçar. Eles por seu lado cobram o abandono dizendo “onde estão os presentes?”. Nessa altura, reviram-se as malas até acharmos todos os brinquedos que lhes trouxemos.

No dia seguinte, quando entram no nosso quarto às sete da manhã, e nós, ainda a sofrer com o jet leg, há uma mistura de emoções. Por um lado, uma grande alegria de os ver e por outro, uma vontade de voltar a viajar . :)

Sweet kisses

Maria

0