Esta angústia que se sente…

Este mal-estar, esta angústia, essa culpa que se sente quando deixamos os miúdos…

Primeiro quando vão para a creche… custa a todos; aos pais, aos miúdos, aos avós… Dá vontade de “atirarmos o emprego para o ar” e nunca mais os deixar.

Quando estão doentes e gerimos com o pai e os avós, para ficarem em casa com eles. E se temos mesmo de sair de casa, carregamos uma culpa e uma dor, que só nós é que sabemos.

No entanto, como responsáveis e trabalhadores que somos, sabemos que a vida é mesmo assim.

A culpa vem mesmo com algum peso, quando queremos ir beber um copo com as amigas, passar um fim-de-semana com o marido ou ir de férias sem os miúdos e os deixamos com os avós ou familiares. É tão estranho este sentimento… mas sei de muitos pais que lidam com essa emoção. Muitas das vezes deixam de ir, anulando todas essas vontades, por sentirem que se fossem, estariam a trair o filho ou a filha.

É sempre mais complicado, quando os miúdos são mais pequenos, tornando-se um pouco mais fácil, quando eles ficam mais crescidos.

Quando tenho um programa, que não inclui crianças, começo a ter dúvidas se devo ir ou não. Penso que mais cedo ou mais tarde os miúdos vão tornar-se adolescentes, que não vão ter sentimentos de culpa em relação aos pais, nem sequer vão pensar nisso. Esta futura realidade, faz-me ver que a vida é mesmo assim, há tempo para tudo e aviso já meus queridos filhos: hoje à noite os pais vão sair…

Sweet kisses

Maria

 

0