Escolas para pais?

Às vezes, acontece-me testemunhar alguma cena entre mãe e filho e ponho-me logo a pensar se não deviam existir aulas para se aprender a ser pai.

Gerar e criar uma criança não é o mesmo que educá-la e nem sempre sabemos como reagir perante as situações concretas do dia-a-dia. Dizem-nos que devemos confiar no nosso instinto de mãe, nos nossos valores intrínsecos, mas a realidade é que ser pai ou mãe é um trabalho complicado e muito exigente.  Física e mentalmente.

Há uns tempos li um artigo numa revista americana que me fez pensar bastante. Dava umas dicas muito básicas e simples, para mostrar aos pais porque é que os filhos são como são. Por exemplo, se o seu filho lhe mente, provavelmente é porque você reage muito mal quando ele faz asneiras. Ou se o seu filho não tem coragem para se impor ou para lutar pelo que quer, é porque sempre foi você a resolver-lhe os problemas todos.

Isto é verdade. Pode não se aplicar a 100% das crianças, mas é um facto que são os comportamentos dos pais que influenciam grande parte das reacções dos filhos.

Eu não sou uma mãe perfeita, nem acredito nas mães perfeitas. Todas erramos, mais cedo ou mais tarde. Mas a experiência dos outros, especialmente outros pais, psicólogos e professores, pode ser muito útil e alguns ensinamentos básicos podem ajudar-nos bastante a educar os nosso filhos e a orientar a sua formação para se tornarem adultos responsáveis, confiantes, corajosos, generosos, criativos e honestos. Não é o que queremos todos?

 Portanto, escolas para pais. Por que não?

Alex

0