É tão bom estar apaixonado!!!

Ontem, ao ver as fotografias do Cristiano Ronaldo com a nova namorada, Cassandre Davis, lembrei-me de como é bom estar apaixonada.

Não acham?

Deve ser umas das melhores sensações do mundo. Sente-se mesmo as borboletas no estômago, o nó na garganta, o choque na pele quando nos tocam, os segundos longe da nossa paixão que nos parecem horas, e quando estamos juntos o tempo voa, mais nada interessa, só no momento em que voltamos a estar lado a lado é que a vida faz sentido.

Quando nos casamos ou vivemos juntos, o sentimento paixão vira amor. Há alturas, em que se entra numa rotina tão grande, a relação fica tão confortável, que parece que estamos anestesiados. O beijo diário é mecanizado, os telefonemas servem para tratarmos da logística da casa e dos filhos (acabam-se as horas ao telefone para falar de tudo e de nada), e o “amo-te” soa como “até já”.

Atenção! Nem tudo está perdido! Não ficamos dormentes para sempre. Um dia, de repente, voltamos a olhar para a nossa cara-metade novamente com paixão. Não se sabe bem o motivo, pode ser um novo penteado, um sorriso, a maneira como olham para nós, um elogio quando menos esperamos. Há algo, que nos faz voltar a sentir aquele fogo emocional dentro de nós, e voltamo-nos a aproximar, somos novamente dois adolescentes apaixonados. Pelo menos comigo e com a maioria das minhas amigas é assim. Não sei se os homens sentem o mesmo, e da mesma forma, mas quero acreditar que sim.

Passado algum tempo, voltamos a ser robôs. A parte boa, é que durante a vida a dois, nos apaixonamos várias vezes pelo nosso cônjuge. O que julgo ser o segredo, para a duração de alguns casamentos.

Agora não se iludam, aquela paixão do início da relação, é que nunca mais volta. Quando nos apaixonamos por alguém pela primeira vez, não a conhecemos bem, nem sabemos nada sobre os seus hábitos, mudanças de humor, teimosias, defeitos… Só vemos as qualidades, por isso achamos que nos saiu a sorte grande, porque encontrámos o homem perfeito. A realidade, é que ninguém é perfeito, e os príncipes encantados só existem nas histórias de encantar. Se repararem, estas histórias de princesas e príncipes acabam sempre no dia do casamento, e mesmo que nos digam que foram felizes para sempre, não temos maneira de saber se foi mesmo assim. Provavelmente até foram reacendendo a paixão ao longo da vida, e por isso é que foram felizes.

Sweet kisses

Maria

0