Aquilo que NUNCA deve dizer ao seu filho

Às vezes, nem nos apercebemos que simples frases que julgamos inofensivas podem, pelo contrário, ser profundamente prejudiciais para o desenvolvimento dos nossos filhos. De facto, com a pressa do dia-a-dia, muitas vezes falamos sem pensar e dirigimos as palavras mais cruéis às pessoas que mais amamos: os nossos filhos.

Isto a propósito de uma conversa que tive recentemente com um pediatra, em que falávamos informalmente sobre a relação que tenho com as minhas duas filhas. E ele disse-me algo que eu já sabia, porque já tinha lido o suficiente sobre isso, e que é o seguinte: uma das piores coisas que um pai pode fazer a um filho, em termos de construção da sua auto-estima, é compará-lo ao irmão. Provavelmente, haverá poucas frases ou observações que diminuam tanto a auto-estima de uma criança como dizer-lhe ” a tua irmã na tua idade já lia muito bem ” ou ” o teu irmão joga muito melhor futebol do que tu “.

Ao contrário do que poderíamos imaginar, estas palavras tão banais em vez de motivarem a criança a fazer melhor ou a comportar-se melhor, pelo contrário, fazem-na acreditar que não é tão ” boa ” como o irmão ou irmã, colando-lhe uma etiqueta de que terá muita dificuldade em libertar-se mais tarde.

Dizia-me ainda esse médico, que está estudado que apenas 10% das crianças reagem positivamente às comparações com os irmãos. Os outros 90% interpretam as palavras dos seus pais, de que tanto gostam e admiram, como a confirmação de que são piores do que os irmãos e, até, de que não valem nada.

Por isso, ele dizia-me para nunca fazer isso, o que eu já não fazia, mas também para não permitir que outros o façam à minha frente. ” Por vezes, não são os pais, mas os avós, tios ou amigos, mais descontraídos ou, por vezes, até como graça, que fazem os comentários desapropriados, que tanto mal fazem às crianças. “

Alex

 

0