Aqueles dias

Sabem aqueles dias, em que corre tudo mal?

Ontem acordei tarde, logo aí, tive uma premonição de como o meu dia ia ser. Logo por azar, não preparei de véspera a roupa para eu vestir, nem a dos miúdos, o que me atrasou ainda mais. Também já não deu para lavar o cabelo. Lá fui eu de rabo-de-cavalo.

Chegou a hora de sair de casa, e além de mega atrasada, os miúdos não querem ir para o ATL da escola, e começaram logo a fazer birras. Eu prometi-lhes o céu e a lua, para os arrancar de casa e disse-lhes que já faltava pouco, para irmos de férias juntos (estou mesmo a precisar).

Após os deixar, fui direitinha para o trabalho e claro que havia trânsito, ainda por cima, nos locais onde nunca costuma haver. Como chego atrasada, demoro a encontrar lugar para estacionar.

Entro no meu escritório, sento-me e respiro fundo. O telemóvel dá-me um alerta sobre um almoço que agendei com uma amiga. Vem uma alegria, porque sei que vai ser divertido, e vou-me esquecer logo do meu início de dia. Quase na hora do almoço, a minha amiga tem um imprevisto, e desmarca. Grrrrrr. Pensei em várias alternativas, mas acabo por ir ao McDonald´s. Lá se foi a dieta, a carência que sinto, faz-me rematar o hambúrguer e as batatas, com um sundae de chocolate.

Durante o dia tive notícias menos boas, nada de grave, mas moeram-me o juízo. Um dia conto-vos.

Para compensar o atraso de manhã, acabei por sair mais tarde. Ainda fui ao supermercado, mas como sou sempre muito histérica nas compras, regresso carregadíssima, e a amaldiçoar-me por ter comprado tanta coisa.

Chego a casa, os miúdos já tomaram banho, e vamos logo jantar. Vejo que os meus filhos estão cansados, e o meu marido, também não está nos seus dias.

Fomos todos para a cama, e só me apetece chorar. No fundo não havia uma boa razão para isso. Mas sentia que o Mundo estava contra mim, e uma solidão aberrante. Soube que só havia uma coisa a fazer. Pedi aos miúdos para irem para a minha cama, agarro-me a eles, e fica tudo bem. Sou a pessoa mais feliz do mundo! Vem-me à cabeça a frase  “After all tomorrow is another day” do filme “E tudo o vento levou“,  que me dá uma força interior e adormeço.

Sweet kisses

Maria

0