A ausência do Não

Ter filhos é maravilhoso e desde o dia em eles nascem, que a nossa maior preocupação é que sejam felizes. Provavelmente por essa razão, é que lhes permitimos tudo desde o berço.

Nem sempre foi assim, os nossos antepassados não eram tão brandos com as crianças, como a nossa geração. Se calhar eram demasiado severos e os castigos muito mais violentos.

Os pais de agora são uns porreiros (pelo menos eu sou), deixam os filhos fazer tudo. Como queremos agradá-los, dizemos a tudo que “SIM”. O que acontece, e o que me está a acontecer, é que durante seis anos, fiz as vontades todas aos meus filhos. Quando eu dizia que não, com muita dificuldade, havia um avô ou uma tia que me convenciam e acabava por ceder…

O problema é que viver num “mundo do sim“, não cria resistências internas ao petiz. Sempre que os miúdos ouvem um “NÃO” ficam destruídos e sofrem mais. A pouco e pouco vão percebendo que o mundo não gira à volta deles; o caminho é mais duro em relação a uma criança que ouviu mais vezes a palavra não. Por isso pais, digam não mais vezes, mesmo que custe, é para o bem deles.

O mais giro no meio disto tudo, é que os meus descendentes não têm dificuldade em me dizer “NÃO”. Rapidamente aprenderam esta palavrinha!

Sweet kisses

Maria

0